sábado, 30 de março de 2013

Páscoa

Em 9 anos de vida do Principezinho, oito são marcados pela condicionante da saúde.
Nestes últimos 8 anos, foram raras as vezes que passámos a Páscoa em casa e não no hospital.

Saímos do hospital há uma semana e tal. O João ainda não recuperou totalmente da gripe em si e do trauma do internamento... Sim, porque agora, cada vez que vem de um internamento (independentemente do tempo que lá esteve) aparenta sinais de stress pós-traumático (eu sei que não sou profissionalmente qualificada para fazer este "diagnóstico", mas sou a Mãe!). 
Recusava dormir. Só há 3 dias é que começou a aceitar ir para a cama e mesmo assim ainda não é à hora habitual dele... Ainda está um bocado nervoso, tem períodos de irritabilidade que podem ser motivados por dor mas são extremamente intensos e exagerados. 
O clima também não tem ajudado pois ele reage muito à humidade e por isso voltou a ter hipersecreções... logo, precisa de muita cinesioterapia respiratória e só tolera o primeiro minuto!
São precisas doses extra de paciência.

As Quaresmas foram sempre verdadeiras caminhadas de abstinência de muitas coisas que não as mais comuns para os católicos... Espera-se que se faça o sacrifício do jejum, que seja um período de reflexão intensa, de mudança interior. Para nós a abstinência não passa (apenas) pelos alimentos ou até por alguns comportamentos. Passa essencialmente pela abnegação.
Não é só o João, mas toda a família acaba por ser condicionada pelo seu estado de saúde.

Algumas pessoas não compreendem como é que, depois (e apesar) de tudo o que se passou e continua a passar nas nossas vidas, continuo a ter Fé.
Não explico. Apenas sinto.
E sinto-A muito. 
Acredito muito n'Ele, profundamente. 
Amo-O intensamente.
E tento vivê-Lo o máximo que me é possível.
Por isso, desejo a todos uma 
Santa Páscoa
que o Cristo Ressuscitado viva nos vossos corações
mesmo em quem não acredita Nele


3 comentários:

Raio de Sol disse...

Uma Páscoa serena e feliz, plena de Vida!
Vós estais sempre nas nossas orações.
Um abraço dos amigos,
Helena e Ginho

Marylight disse...

Minha querida, nem sei o que te diga...a minha Fé já não é o que era, não a sinto como antes. Ao ler estas tuas palavras, deixa-me de facto a pensar... a nossa situação não tem nada a ver com a vossa, são situações completamente diferentes, desejaria que o JP não tivesse de passar por todos os problemas de saúde pelos quais tem passado, pois qd os nossos filhos adoecem, nós adoecemos com eles.

Admiro-te imenso, o JP é um Guerreiro, mas tem a quem sair, aos seu Pais que tb são uns verdadeiros Guerreiros da Vida!

Um beijinho muito grande!

Grilinha disse...

Mãe Sisa...tive de ir a correr a ler este post ao "não crente" do meu marido...e emocionamo-nos os dois, porque diz tudo. Confesso que eu sou daquelas que pensa naquilo que não é justo....pronto, já disse. O que escreveste não é bonito, é lindo. Vocês são uma família linda. E só de ler, já penso mais como tu e sinto-me muito mais feliz. :)