quarta-feira, 31 de agosto de 2011

resumo de umas férias que não o foram

apenas "oficialmente"... porque é período de férias lectivas.
Não houve praia. Houve 1 tarde de piscina (a semana passada, graças às amigas ninis!) e com direito a apenas 1 mergulho porque estava frio.
2 dias em Fátima onde tivémos o prazer de conhecer a Sueli, o Fábio e a princesa Manu (que já adicionámos ao Facebook para mantermos o contacto entre Portugal e Brasil e compararmos os "desapoios" dos respectivos estados governativos...), onde reencontrámos velhos amigos e onde vamos sempre recarregar energias (das boas!).
3 dias no Alentejo em que praticamente nem saímos de casa... e não vimos ninguém (mas temos saudades vossas e na próxima vez não podemos falhar: M+L e V+D! Beijinhos daqui...).
Depois daquele dia passado em Óbidos pouco ou nada espairecemos.
Continuámos a fisioterapia para não perdermos a vez... Já que se passam anos sem conseguirmos ter as terapias que ele precisa, obviamente que não as vamos desprezar quando temos oportunidade delas usufruir...
Pouco trabalhámos. Neste aspecto sim, foram férias.
Sim, já sei toda a lengalenga que não podemos cruzar os braços com estes meninos, tem sempre que haver muito trabalho, trabalho, trabalho. OK. Vistam a minha pele, vivam a minha vida, sintam as minhas dores e o meu cansaço e depois conversamos sobre isso.
EU também preciso de férias, mesmo que não as tenha.
Daqui por uns dias recomeçamos toda a azáfama e seja o que Deus quiser.

3 comentários:

ClaudiaMG disse...

Férias são férias....independentemente se não foram férias no verdadeiro sentido da palavra.

Mas por vezes é preciso parar, descansar e gozar o "dolce fare niente", apesar de fazermos sempre algumas coisas.

Aqui também não podemos parar a TO em Alcoitão (que já não é paga novamente) porque senão perdíamos a vez.

Beijinhos e muita força para o ano que se avizinha

Grilinha disse...

Mamã Sisa....
Por aqui tb não houve quase nenhum trabalho (e se o JP precisa...) mas todos precisamos de descanso e desanuviar da rotina doida do resto do ano.
Como me identifico com aquele último parágrafo !!! Por isso, tb desfrutei do descanso que nos é devido. E nem tive grandes arrependimentos.
Trabalhamos o ano inteiro (mais do que possa parecer aos outros) e merecemos baldar-nos quando é altura de o fazer ou quando simplesmente precisamos.

Toca a aproveitar mais folgas e fins de semana, dentro do possível, pois bem merecem. Beijinhos

Anónimo disse...

Amiga Sisa,
Como eu entendo td isso e aqui em casa nada se compara.
Já não sei o que dizer, só lhe mando um abraço mt apertado cheio de ternura e compreensão.
Mil bjs,
Alexandra