sábado, 26 de abril de 2008

Fábulas do nosso País...

«Uma adolescente de 16 anos pode fazer livremente um aborto mas não pode por um piercing.
Um cônjuge para se divorciar, basta pedir; um empregador para despedir um trabalhador que o agrediu precisa de uma sentença judicial que demora 5 anos a sair.

Na escola um professor é agredido por um aluno. O professor nada pode fazer, porque a sua progressão na carreira a está dependente da nota que dá ao seu aluno.

Um jovem de 18 anos recebe €200 do Estado para não trabalhar; um idoso recebe de reforma €236 depois de toda uma vida do trabalho.

Um marido oferece um anel à sua mulher e tem de declarar a doação ao fisco. O mesmo fisco penhora indevidamente o salário de um trabalhador e demora 3 anos a corrigir o erro.

O Estado que gasta 6 mil milhões de euros no novo Aeroporto recusa-se a baixar impostos porque não tem dinheiro.

Nas zonas mais problemáticas das áreas urbanas existe 1 polícia para cada 2.000 habitantes; o Governo diz que não precisa de mais polícias.
Numa empreitada pública, os trabalhadores são todos imigrantes ilegais, que recebem abaixo do salário mínimo e o Estado não fiscaliza. Num café, o proprietário vê o seu estabelecimento ser encerrado só porque não tinha uma placa a dizer que é proibido fumar.

Um cão ataca uma criança e o Governo faz uma lei. Um professor é sovado por um aluno e o Governo diz que a culpa é das causas sociais.
O IVA de um preservativo é 5%. O IVA de uma cadeirinha de automóvel, obrigatória para quem tem filhos até aos 12 anos, é 21%.

Numa entrevista à televisão, o Primeiro-Ministro define a Política como 'A Arte de aprender a viver com a decepção'. Estaremos, como Portugueses, condenados a aprender a viver com este Primeiro-Ministro? »

O texto acima chegou até mim por email, não faço ideia de quem será o autor, mas já agora, como mãe de uma criança deficiente e com uma doença pulmonar crónica, sinto-me no dever de ainda acrescentar algumas coisas a esta lista:
- A Seg. Social suspender o pagamento da bonificação por deficiência (que é paga juntamente com o abono de familia) porque não se apresenta uma nova declaração médica a comprovar a deficiência - SIM, PORQUE PELOS VISTOS PARALISIA CEREBRAL, COM UM GRAU DE INCAPACIDADE DE 76% TEM CURA, LOGO DE UM ANO PARA O OUTRO A PESSOA PODE DEIXAR DE SER DEFICIENTE!!!
- Supostamente pagam um subsídio de assistência a filhos deficientes ou com doença crónica, às mães/pais que queiram/precisem tirar uma licença para cuidar dos filhos, MAS:
1º esta licença tem que ser autorizada pela entidade patronal;
2º tem um prazo de 6 meses prorrogável até 4 anos;
3º pagam até 65% do ordenado da pessoa nunca podendo exceder o valor do ordenado mínimo nacional e estas contas para atribuírem o valor a pagar são feitas de uma forma que ninguém percebe!...
... então e as mães que têm filhos deficientes E que são doentes crónicos? Porque é que não têm direito a um valor superior?!?

Em qualquer lado se encontram brinquedos e acessórios para todas as crianças... ou quase todas!
E as crianças com necessidades especiais, que não conseguem brincar com os brinquedos normais, porque é que não têm direito a pagar o mesmo preço pela brincadeira?
BRINCAR É UM DIREITO DE QUALQUER CRIANÇA!
ASSIM COMO LER E ESCREVER e no entanto ninguém está muito preocupado com os preços absurdos que são praticados pelos fabricantes/representantes dos brinquedos e software adaptado: ou os pais têm um bom suporte financeiro ou têm familiares e amigos que os ajudem ou então as crianças deixam de ter o DIREITO DE BRINCAR E APRENDER como todas as outras.
Na realidade esta NÃO É UMA "REALIDADE" para o estado português.
É melhor gastar o dinheiro em travessias do Tejo, TGVs e novos aeroportos...



... do que proporcionar verdadeiros incentivos a quem mais precisa deles


... do que criar protocolos de colaboração com clínicas privadas de reabilitação física (sejam elas em Cuba ou em Portugal - que também as há cá!)

... do que ter um Banco de Ajudas Técnicas que funcione efectivamente e que tenha condições para satisfazer as necessidades de TODA a população portuguesa com necessidades especiais

E ainda assim, fica por dizer tanta coisa!

2 comentários:

Anónimo disse...

Devias publicar ou enviar para uma estação de tv o teu texto pq honestamente as pessoas q andam adormecidas e tão embrenhadas nas suas vidinhas deviam prestar atenção a tudo aquilo q dizes pq infelizmente é uma realidade...
No nosso Portugal só muda alguma coisa se se vier a publico.. de contrário fará sp parte do esquecimento... atreve-te, arrisca.. põe o dedo na ferida !!!!!
Beijos p os 3

Prima Ana disse...

Então???? Vais atrever-te ??
Quero noticias !! Quero um Sim !!! O mundo, pelo menos o nosso pequeno mundinho chamado PORTUGAL precisa de vozes como a tua....
Beijos da Prima Ana