terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Quem é o afilhado "MAI" LINDO do MUNDO?



Fui convidada para ser madrinha dele quando a sua existência ainda era só um sonho.
Soube que ele já existia na véspera de uma viagem e voltei “carregada” com o que viria a ser o seu primeiro presente.: um papagaio colorido que até hoje continua pendurado no seu quarto!
Soube que ele era um ELE numa manhã, a meio caminho da Rua Dona Maria.
Nasceu num dia que ficou na história mundial actual (dia dos atentados de Madrid).
Peguei na mão dele, a primeira vez, no dia a seguir ao seu nascimento.
Desde logo não tive dúvidas é o afilhado MAI LINDO DO MUNDO! E a paixão oficializou-se com o primeiro toque.
Oficializou-se também este “amadrinhamento” e uma das mais belas fotos que possuo é desse dia e com ele. É uma fotografia que transpira tranquilidade e carinho. Levei-o ao colo quando entrei na igreja e quando fui ler as leituras. Ele, claro está, quis morder o ambão e então tive que fazer dois em um, ler a leitura e afastá-lo do ambão “apetitoso” embalando-o na minha anca.

Fui acompanhando o crescimento dele e da última vez que o vi completamente saudável andava (andar não é bem o termo, parecia que ele queria atropelar o mundo J).

Os acontecimentos que modificaram a vida deste afilhado, vocês já conhecem.
Desde essa altura para cá houve momentos de muita angústia, tristeza, medo e impotência. Ele e a família que o cerca foram revelando uma força, persistência e tenacidade que os elevou à classe de VERDADEIROS super-heróis. Nós, os amigos, fizemos alguns serões à porta das urgências para fazermos a única coisa que nos era possível, dizer que estávamos ali para o que desse e viesse. Lembro-me de quando lhe peguei a primeira vez após as ventilações. Foi estranho, confesso que parecia que estava a pegar numa mini-tábua de passar a ferro. A mãe tinha algum medo em deixar-nos aos dois, mas após insistência para que fosse arejar, ficamos os dois juntinhos, sozinhos com ele ao meu colo e comigo a dar-lhe banana esmagada. Cantei-lhe uma canção temática associada sempre com o mesmo tom e aquilo que parecia complicado decorreu com a normalidade possível. A minha admiração por esta família e por este afilhado cresce a cada dia que passa e neste mundo em que as certezas quase não existem, há uma que desde há muito me acompanha: a certeza de que este ser me faz querer ser uma pessoa melhor! Uma pessoa muito melhor!

Sou apaixonada por ele! Por questões profissionais já há mais de um ano que vivo fisicamente afastada dele 350Km.
Há dias em que chega a ser até fisicamente doloroso não estar perto dele. Chega a ser um vício dar-lhe beijos. Sentimos muitas saudades um do outro, mas quando nos reencontramos (como foi o caso do fim-de-semana passado) é como se houvesse uma mini-explosão de alegria! Juro que desta última vez até ouvi o fogo de artifício.

Sempre lhe pergunto porque é que ele é tão lindo, a resposta é óbvia e vem com aquele bater de pestanas que só ele sabe fazer: “É LINDO PORQUE É LINDO! SÓ SABE SER LINDO!”

1 comentário:

Mariart disse...

Cada um de nós tem uma história particular com ele, mas todas elas se resumem no mesmo sentimento.